AventuraDicas

Parque da Cantareira – Núcleo Cabuçu – Guarulhos

Nenhum comentário

O Parque Estadual da Cantareira é uma Unidade de Conservação de Proteção Integral Paulista criado em 1968 por Decreto Estadual. Abrangendo grande parte da Serra da Cantareira dividia em 4 (quatro) Núcleos: Pedra Grande, Engordador, Águas Claras e Cabuçu.

 

Em outubro de 1994 a UNESCO o declarou como Reserva da Biosfera do Cinturão Verde da Cidade de São Paulo. Vinculada à Secretaria de Meio Ambiente, é administrada e gerenciada pela Fundação para Conservação Florestal de São Paulo.

Sua área se encontra na Zona Norte de São Paulo abrangendo os municípios de Mairiporã, Guarulhos e Caieiras. Sendo a terceira área verde urbana do País, atrás apenas da Reserva Florestal Adolfo Ducke em Manaus e pelo Parque Estadual Pedra Branca no Rio de Janeiro.

Um pouco da história

O nome, Serra da Cantareira, foi batizada pelos Tropeiros que faziam comércio entre São Paulo e outras regiões do País durante os séculos XVI e XVII pela grande quantidade de córregos e nascentes da região. Essas águas abasteciam as prateleiras chamadas de Cantareiras onde eram armazenadas os cântaros mantendo o líquido limpo e fresco.

Sua floresta é de Mata Atlântica, mata densa de montanha com cerca de 79 quilômetros quadrados sendo divididos entre os municípios acima citados e por núcleos.

Hoje falaremos apenas sobre um dos Núcleos, o Cabuçu na região de Guarulhos.

O Núcleo Cabuçu é o mais novos dos núcleos, aberto apenas em 2008 para visitação, conta com 1/3 da área total do parque contendo algumas trilhas, nascentes, um grande reservatório de água para abastecimento da região metropolitana de são Paulo.

Seu nome é de origem indígena Tupi Guarani que significa: Vespa Grande (Caba significa Vespa e Açu por sua vez Grande. Por conta da grande facilidade de serem encontradas na região.

Outra curiosidade do nome é pela espécie de árvore Cabuçu (Miconia Cabussu) que existe em grande quantidade na região do parque.

A Barragem do Cabuçu:

A pouco mais de 300 metros da entrada do parque o visitante chegará até a barragem e reservatório de água. A Barragem é datada de 1908, considerada a primeira grande obra de concreto armado do Brasil. O cimento usado na construção veio de navio da Inglaterra em barris de madeira, em seguida foi transportado de trem até São Paulo e posteriormente ao Cabuçu em carros de boi e lombos de burro.

 

As Trilhas abertas para visitação:

Trilha do Sagui – essa com apenas 800 metros, onde o visitante pode contemplar inúmeros macaquinhos fazendo sua festa característica em busca de alimento fácil (não alimente animais silvestres) e também um antigo forno para produção de carvão vegetal ao lado de alguns percursos de águas ao longo da trilha.

Trilha da Cachoeira– essa é a mais longa do parque com 5.200 metros sendo seu percurso mais acidentado com subidas e descidas mais íngremes até a chegada de uma pequena cachoeira com aproximadamente 5 metros de altura.

Trilha da Jaguatirica – essa contêm apenas 1000 metros de percurso ligando o caminho para as trilhas da Cachoeira e do Sagui, sua vegetação é exótica com pinheiros e bambus, ideal para um dia calmo e grupos estudantis.

Trilha do Tapiti – essa é a trilha mais curta, com aproximadamente 250 metros onde o visitante poderá contemplar árvores como a Araucária e Cabuçu ao longo do percurso.

A Biodiversidade do Parque:

A Fauna do parque é bem diversificada e conta com alguns animais que constam na lista de ameaçadas de extinção no Estado de São Paulo.

O visitante poderá encontrar: macacos das espécies: Bugio, Prego, Sagui e também outras espécies de animais como: sauás, felinos (onça-parda, gato do mato, gato-mourisco), quatis, gambás, diversas aves como: gavião pega macaco, pica-pau, beija-flores, tucanos, entre tantos outras espécies. É claro não podemos deixar de lado os animais como: as jararacas, lagartos como o teiús, sapos, rás, entre outros.

A Flora do parque é bem abrangente com cerca de 680 espécies, entre elas Canela, Sassafrás, Imbuia, Canena preta, Samambaia Açu, Figueiras, Tapia-mirim, Palmeira Juçara, Pata de Vaca, Bromélias, Jacarandá, Embaúba, Pau-Jacaré, Açoita-Cavalo, Cedro rosa, Jequitibá branco, Cabreúva, entre tantas outras espécies.

Local e Horário de Funcionamento:

Sábados, Domingos e Feriados das 8:00 as 17:00 em dias de chuva o parque não abre.

Custos dos ingressos é de R$ 16,00 (consulte descontos para estudantes e isenções para melhor idade e alguns profissionais devidamente documentados).

O Parque oferece uma boa infraestrutura com banheiros, bebedouros, playground, auditório e um pequeno museu.

Torne sua visitação mais completa e inesquecível, vá acompanhado de um Guia de Turismo ou Monitores habilitados.

Posts relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Uma viagem ao Japão sem sair de São Paulo!
Centro Cultural do Banco do Brasil e o Egito Antigo

Posts recentes

Menu