História

O Cemitério São Paulo também tem seu valor

1 Comentário

Com menos glamour que o famoso Cemitério da Consolação, o Cemitério São Paulo, que fica entre os bairros de Pinheiros e Vila Madalena também é muito interessante.

O Cemitério São Paulo não é tão falado e visitado como o Cemitério da Consolação, mas apresenta também a possibilidade de interessantes visitas culturais com mais de 180 esculturas de consagrados escultores como Brecheret e Galileo Emendabili, que fizeram ali obras maravilhosas como a emocionante “Ausência” que transmite toda a tristeza que sente o pai, o filho, sentados a uma mesa para fazer a refeição, mas faltando a mulher (mãe e esposa). Os dois escultores estão ali sepultados mas em túmulos bem simples, nada comparado às obras grandiosas que fizeram.

Interessante também são alguns mausoléus como o dos “Artistas de Teatro” que tem o formato de um palco com as cortinas fechadas. O “mausoléu dos atletas”, com uma escultura em que são mencionadas todas as federações esportivas. O mausoléu dos Jornalistas, simples apenas com placas com nomes importantes e conhecidos ali sepultados.

Há também belas obras de Arte Tumular homenageando heróis da Revolução de 1932, na época do falecimento ali sepultados, porém,  transladados para o Ibirapuera, no Mausoléu aos Soldados Constitucionalistas, depois que este fico pronto. Uma curiosidade, peça rara, no túmulo do General Marcondes Salgado, logo na entrada do cemitério na rua Cardeal Arcoverde, temos um belo trabalho de Eugênio Prati,.Em relevo no bronze está o general a cavalo, já que era da Cavalaria da Força Pública , e atrás dele o prédio Martinelli, orgulho de São Paulo, e o monumento “Glória Imortal aos Fundadores da Cidade”, que fica no Pátio do Colégio desde 1925,diante do túmulo temos uma mulher chorando e o brasão do estado de S.Paulo mas não como o conhecemos com a frase “Pro Brasilia Fiat Eximia” mas por SÃO PAULO, foi assim na Revolução de 1932.Raridade!

O cemitério São Paulo foi inaugurado em 1926 bem depois do Cemitério da Consolação (1858), não estão lá os Barões do Café, mas muitos imigrantes bem sucedidos: árabes, italianos e também armênios foram sepultados em belos túmulos, como o da família Varan Keutenedjain, onde está a porta esculpida por Brecheret em bronze, com 5,5 m de altura, com figuras retratando a vida de Jesus.

Além de Brecheret e Emendabili, que se tornaram mais conhecidos por grandes obras em espaços públicos, estão lá trabalhos de grandes nomes na Arte Tumular, como, Alfredo Oliani, Gildo Zampol, Antônio Del Débio, Giulio Starace, Armando Zago,Ottone Zorlini ,Eugênio Prati que surpreendem os que visitam o cemitério e que na maioria das vezes desconhecem esses artistas.

Na necrópole também encontramos uma das chamadas “santas populares” (não reconhecidas pela Igreja Católica, mas reconhecidas como santas pelo povo), a Menina Izildinha.

Para quem gosta de Arte e História, gostará de passeio por lá!

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0
Tags: , , , , ,

Posts relacionados

1 Comentário. Deixe novo

  • Um passeio muito interessante, e que merece mais atenção, quem sabe um mapa destacando as obras, escultores, como merece um museu a céu aberto como é este cemitério também.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

Portas do Centro Histórico de São Paulo
Mooca: O bairro Paulistano de sotaque Italiano

Posts recentes

Menu
Email