É impressionante a quantidade e a variedade de Capelas e Igrejas na cidade de Santos, as com mais relevância histórica estão aglomeradas no Centro Histórico ou em bairros próximos, mas elas estão por toda a cidade, cada uma com as suas semelhanças e diferenças de Arquitetura e Fé.

Certamente não vou conseguir contar sobre todas aqui, e nem sobre todos os seus detalhes, mas aqui você vai conhecer um pouquinho de cada uma delas.

 

@ Conjunto do Carmo

Tudo começa quando Brás Cubas doa um terreno para os Freis Carmelitas, que começam a construção de sua Igreja ainda no final do século 16, desde então o lugar só cresceu… o que resultou em um Conjunto em estilo Barroco com um Convento e duas Igrejas (uma do século 17 e outra do século 18), divididas por uma torre (única na cidade), todos bem preservados dado a época, atravessando o tempo e até um incêndio de 1941 que atingiu o altar de uma das Igrejas.

*Curiosidade: Os primeiros carmelitas vindos da Holanda chegaram em Santos no início do século 19, e fundaram o tradicional Colégio do Carmo, que acabou sendo transferido para a Ponta da Praia (outro bairro santista), onde está até então.

 

@ Santuário do Monte Serrat

Talvez de todas, a Capela da N. S. do Monte Serrat seja a mais modesta pelo o seu tamanho, mas não menos importante! Afinal, a Capela foi cenário de uma das histórias mais contada da cidade, quando a então Vila de Santos, foi atacada por holandeses em 1614, a população buscou abrigo nesta Capela (que fica mais de 150m acima do nível do mar), os holandeses tentaram subir para alcançá-los, quando aconteceu um deslizamento. 

Conclusão: os holandeses acabaram soterrados, e o deslizamento que salvou a população do ataque, foi visto como um milagre da Santa.

*Curiosidade: A Nossa Senhora do Monte Serrat além de ser padroeira de Santos, também é padroeira de Barcelona, isso porque a ordem para construir a Capela foi do 7° Governador Geral do Brasil – D. Francisco de Souza – espanhol e devoto da Santa, que segundo a lenda, foi reencontrada em um caverna no Montserrat (Catalunha, Espanha) em 880, por um grupo de crianças.

 

@ Santuário do Valongo

Muitos pensam que o Santuário é de 1640, afinal, quando entramos vemos no topo: “1640”🙈 Mas o ano se trata do início da construção, que só terminou lá para o final do século 17! 

Sem dúvidas o que mais chama a atenção de quem visita o Santuário, é o seu altar folheado a ouro, um dos mais belo do Barroco brasileiro.

*Curiosidade: Com o crescimento acelerado da cidade, todo o Conjunto acabou vendido no século 19 para a construção da Estação do Valongo (que está ao lado do Santuário). Mas como o Santuário está até hoje de pé? Graças ao Santo Antônio! Quando os operários entraram para retirar a imagem do Santo do altar, adivinha!? Não havia força que a movesse!!!

Conclusão: apenas o claustro foi demolido, a Estação foi construída, mas o Santuário seguiu de pé, assim como outra ala do Conjunto.

 

@ Catedral de Santos

A cidade tem o privilégio de ter três Igrejas de Arquitetura Neogótica (estilo que traz de volta esta Arquitetura da Idade Média européia), e a Catedral que começou a ser construída em 1909 para substituir a antiga Igreja Matriz da cidade, é uma delas.

*Curiosidades: Qualquer semelhança com a Catedral da Sé de São Paulo, não é mera coincidência… o projeto da Catedral de Santos é do mesmo Arquiteto, o alemão Maximilian Hehl.

 

@ Basílica do Embaré

Mais uma Igreja de Arquitetura Neogótica de Maximilian Hehl, e certamente é uma das mais belas, principalmente por estar de frente a orla da praia, contrastando com os prédios de Arquitetura mais modernas. 

*Curiosidade: Até 1952, esta Igreja era apenas uma Igreja, quando o Papa Pio XII a elevou de Igreja para Basílica.

Mas afinal, o que faz chamarmos esta Igreja de Basílica?

Primeiramente ela não deixa de ser uma Igreja 🙈

Porém… dentre outras coisas…a importância para a comunidade e histórica, além de um altar reservado ao Papa, faz com que esta Igreja receba este grau mais elevado de Basílica. 

 

@ Outras

E ainda há muitas outras, como a Igreja N.S. do Rosário dos Homens Pretos (que acolhia escravos fugidos) ou a Igreja N.S. do Desterro, que fica no antigo Mosteiro de São Bento (onde hoje abriga o Museu de Arte Sacra de Santos – com o segundo maior acervo do estado, e um dos mais importantes do país).

Seja qual for a sua crença, cada Igreja é como uma obra de Arte feita pela fé humana para retratar algo superior.

Então me conte nos comentários, qual você gostaria de visitar?

Siga-me nas redes sociais: Instagram / Outras

 

Share and Enjoy !

0Shares
0 0 0
Tags: , , ,

Posts relacionados

1 Comentário. Deixe novo

  • Eu visitei a basílica uma vez… tive um compromisso na OAB de Santos e não resisti entrar para ver a bela arquitetura… Ah! E fazer uma oração também!

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.
Você precisa concordar com os termos para prosseguir

O Parque da Luz em São Paulo
Dia Mundial do Rock

Posts recentes

Menu
Email